Translate

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Banco Pérola - o Grameen Bank brasileiro - lança fundo de investimento inédito

Em outubro de 2009 foi fundada em Sorocaba (SP) uma entidade que teria por destino se tornar uma das maiores fornecedoras de crédito a pessoas de baixa renda do País: o Banco Pérola. Sua criadora (e até hoje presidente) foi Alessandra França (foto abaixo, ao centro), uma jovem que ainda não completou 30 anos mas já cravou seu nome na história do empreendedorismo brasileiro. O Pérola apoia, com empréstimos cujo valor médio é de R$ 3.000, indivíduos pobres que queiram abrir algum pequeno negócio. Agora a instituição informou em primeira mão a este blog que, em 1º de julho próximo, dará seu maior passo até aqui: lançará no mercado o que batizou de Pérola Fundo de Investimento em Direitos Creditórios - o qual vem a ser o primeiro fundo de investimento nacional exclusivamente voltado à concessão de microcrédito a pessoas carentes.

O Fundo já nasce com R$ 3 milhões em caixa - uma quantia impressionante, levando-se em conta que o valor total de empréstimos do Pérola no mercado, no momento, é de apenas R$ 402 mil. "Sequer imagino onde este lançamento pode nos levar. Estou entusiasmada com o surgimento do Fundo, todos aqui estamos", conta Alessandra. Ela mesma tem origem humilde - descendente de poloneses e índios (daí seus olhos puxados), filha de um caminhoneiro e uma costureira - e vem orientando sua vida no sentido de estender aos pobres a chance de criarem seu próprio negócio. Isto desde que leu a biografia do bengalês Muhammad Yunus, intitulada O Banqueiro dos Pobres. Yunus, prêmio Nobel da Paz de 2006, fundou a primeira instituição do planeta voltada ao microcrédito, o Grameen Bank.

Os aportes no Fundo estão abertos e têm valor mínimo de R$ 25 mil. Para criá-lo, Alessandra e sua equipe tiveram o apoio de especialistas em finanças da universidade inglesa de Oxford. Já o HSBC comprometeu-se a ajudar o Pérola a buscar investidores internacionais para a iniciativa. "O produto estará continuamente aberto a captações. Quanto mais recursos tivermos, mais poderemos emprestar para quem precisa. É um modelo de negócios de impacto social muito positivo, mas ao mesmo tempo sustentável financeiramente", explica ela.

Desde seu surgimento o Pérola já apoiou aproximadamente 500 empreendimentos no interior de São Paulo, melhorando a qualidade de vida de cerca de 2.000 pessoas de baixa renda. São membros de comunidades carentes, como a do conjunto habitacional Ana Paula Eleotério, em Sorocaba, onde vivem muitos clientes da instituição (foto abaixo). "Só no interior paulista há uma demanda não-atendida por microcrédito para a abertura de pequenos negócios da ordem de R$ 100 milhões. Queremos, a partir de agora, contribuir ainda mais para fazer com que o dinheiro chegue às mãos de pessoas pobres que busquem superar tal condição através do empreendedorismo", enfatiza Alessandra. Quem estiver interessado em realizar aportes no Fundo pode contatá-la, pessoalmente, via telefone (15-3033.2388) ou email (alessandra@bancopero​la.org.br).
Fonte

Marcadores