Translate

domingo, 14 de setembro de 2008

ADVENTURE SPORTS FAIR CONSAGRA LIVRO AMAZÔNICO


Kiyo Akasaka, subsecretário geral para Comunicação e Informações Públicas da ONU, ao lado do ambientalista Hércules Góes.

Embaixadora Maria Luiza Viotti, chefe da missão brasileira na ONU recebendo livro das mãos de Hércules Góes.
Crédito das fotos: Wagner Santiago



Editora Ecoturismo lança livro na Adventure Sports Fair



Presença dos aventureiros Amir Klink e Família Miller complementarão o evento

A Editora Ecoturismo lança, na data em que se comemora o Dia da Amazônia (05/09), a obra “O Grito da Amazônia Sustentável contra o aquecimento Global”, do jornalista, advogado e ativista ambiental Hércules Góes, juntamente com o documentário homônimo de oito minutos.

O lançamento acontece na Adventure Sports Fair, evento com data marcada entre os dias 4 e 7 de setembro, no Pavilhão Imigrantes, em São Paulo. Trabalhando sobre as vertentes do ecoturismo, turismo e esporte de aventura, a feira tem a expectativa de um público de 60 mil visitantes.

O livro em questão, que teve lançamento internacional na ONU no mês de julho, é uma obra que tem o caráter de responsabilidade sócio-ambiental, uma vez que, em parceria com o Instituto Árvore da Vida, reverterá parte de sua renda para a preservação da Amazônia, tendo participação ativa no propósito de ajudar a colocar a Amazônia em pé. Este compromisso com o meio ambiente está diretamente ligado à obra, que retrata de maneira ímpar os problemas e as questões emergentes que acontecem nos dias atuais.

Personalidades como Amir Klink e Família Miller estarão presentes na mesma ocasião da Adventure Fair, adicionando relatos importantes e fiéis à causa amazônica, ao desenvolvimento sustentável e ao desmatamento, tópicos relacionados na obra.

Ana Joppert
Assessora de Imprensa
Revista Ecoturismo e Agroenergias Renováveisimprensaecoturismo@yahoo.com.br

Grupo “Grito da Amazônia” anuncia balanço final

O grupo que comandou todas as ações internacionais o projeto “O Grito da Amazônia Sustentável contra o Aquecimento Global”, iniciado no dia 30 de junho, encerra neste sábado (26) a sua importante presença no território norte-americano, anunciando para a imprensa o resultado final das ações ambientais.

As ações, que foram comandadas pelo ativista ambiental Hércules Góes, tiveram a participação ativa dos ativistas Jacira Gonçalves, Martin Augusto, André Vinícius, Hércules Magnus, Rafael Ayres, Ilma Silva, Wagner Santiago e Leo Madeira.

A questão fundamental nestes quase 30 dias nos EUA – cobrindo as mais importantes cidades das Costas Leste e Oeste, com força principal em New York, Los Angeles e San Francisco – foi a conscientização da população norte-americana para a importância da preservação da floresta amazônica e o alarde de que o aquecimento global está muito forte e que todos precisam fazer a sua parte para reverter isso.

Livros e DVDs foram doados para celebridades e vendidos para outros grupos, abrindo um importante caminho para a realização de seminários e eventos e chamando as pessoas para investirem em projetos de preservação de largos pontos da floresta amazônica.

Muitos veículos de comunicação e jornalistas participaram das ações ambientais em prol da Amazônia, entre eles a jornalista Shirley Farber, do Bate Papo TV de Massachusetts, Marcelo Gomes da Brasili Explore (Califórnia), Edilberto Silva do Brazilians Newspaper (New York), entre outros, que se envolveram e promoveram as ações de desenvolvimento sustentável comandado pelo Grupo Editorial Ecoturismo e Instituto Árvore da Vida, que tem o comando da ativista ambiental Deise Mara Nascimento, da cidade de Campinas, no interior do estado de São Paulo.

Líderes religiosos importantes, como Jonathan Hall da Califórnia, também tiveram importante papel neste período, abrindo caminhos para que o grupo ambiental pudesse contatar os pré-candidatos importantes dos EUA preocupados com o meio ambiente, como Barack Obama, dos Democratas.

As ações ambientais abriram caminhos para a participação do documentário “O Grito da Amazônia Sustentável contra o Aquecimento Global”, de oito minutos, para participar de festivais internacionais com o de New York, Barcelona e Los Angeles.

O livro “O Grito da Amazônia Sustentável contra o Aquecimento Global”, que na versão em inglês despertou a atenção de setores da mídia americana, estará disponível em algumas livrarias americanas, entre elas, algumas lojas da Barnes & Noble e livrarias virtuais como a Amazon.com. O livro também é comercializado no endereço eletrônico: www.revistaecoturismo.com.br.

As ações também abriram convites para futuras conferências ambientais em universidades americanas em New York, San Francisco, Los Angeles e Massachusetts.

Como o tema amazônico hoje é extremamente bem recebido nos EUA, esta terceira etapa do projeto “Grito da Amazônia” e única etapa internacional, abriu definitivamente as portas para o encerramento das ações em 2008. Há ainda três fases no território brasileiro este ano: uma no dia 10 de novembro no Fest Cine Amazônia, outra em 20 de novembro, por ocasião do Fórum Mundial de Biocombustíveis em São Paulo (que está sendo conduzido pelo Governo Federal Brasileiro) e outra no dia 28 de novembro na Universidade Luterana do Brasil em Porto Velho, na capital do Estado de Rondônia, com possibilidade de atingir Manaus em convênio que está sendo articulado com importante empresa no ramo mineral brasileiro.

O tema ambiental que cerca a discussão sobre os alimentos e os biocombustíveis é extremamente polêmico e audacioso em todo o planeta e a direção do grupo resolveu encampar definitivamente esta discussão e se empenha para tal, como o fez com a discussão iniciada no dia 10 de julho no hall das Nações Unidas em New York, evento organizado em parceria com importante grupo ambiental do Pará.

O grupo ambiental ainda aguarda a repercussão da transmissão do documentário na televisão americana em Boston para saber se os norte-americanos daquela região estão interessados em investir em projetos de ONGs brasileiras preocupadas na preservação da floresta amazônica em Rondônia e no Amapá.

Ainda no território americano, o grupo ambiental dirigente do “Grito Amazônico” recebeu ações de setores do governo do Amapá interessados em levar para uma das fases do projeto em Macapá a prêmio Nobel da Paz, Wangari Maathai, que já foi convidada e deve se pronunciar nos próximos dias se terá agenda na sua caminhada internacional para vir até a Amazônia brasileira, levando em conta que toda a articulação da líder queniana é feita pelo seu escritório de agentes em New York.

O grupo Ecoturismo estará promovendo ações do Brazilian Day de New York e receberá dos promotores do evento todo o apoio para fomentar o “Grito” em agosto, também na polêmica metrópole da Costa Leste dos EUA.

Ana Joppert
Assessora de Imprensa
Revista Ecoturismo e Agroenergias Renováveisimprensaecoturismo@yahoo.com.br

Marcadores